BA 161 | Em linha para crescer no balcão do varejo de autopeças

Por Karin Fuchs
17/04/2020 13:03:57

 

Ser bem-sucedido e reconhecido é o desejo de qualquer profissional e no balcão de autopeças não seria diferente. Segundo Alexandre Slivnik, especialista em recursos humanos, diretor da Associação Brasileira de Treinamento e Desenvolvimento (ABTD), crescer dentro de uma empresa requer uma série de detalhes. “Entre eles, estão questões comportamentais, relacionamento com colegas e clientes, ótimo desempenho e excelentes resultados.

 

O desafio, na verdade, é identificar quando se está superando as expectativas da sua liderança”, afirma. O primeiro passo é conhecer os objetivos da empresa. “Todo líder precisa compartilhar com seus liderados quais são os objetivos da empresa, aonde ela quer chegar, por que faz e o que ela faz. Quando os líderes compartilham com seus liderados o caminho da organização, fica muito mais fácil os colaboradores atingirem seus objetivos”. Para isso, elas têm o seu planejamento estratégico que é passado para os colaboradores. “Porém, se a empresa não fizer este tipo de ação, busque com o líder quais são os objetivos e como ele pode ajudar a atingi-los”.

 

Segundo Slivnik, além do relacionamento com a equipe e os líderes, é preciso ajudar a empresa a prosperar de todas as maneiras, seja ajudando os colegas em processos mais difíceis, sugerindo mudanças que podem ser positivas e realmente ter ações que se conectem com o propósito da empresa. “Mais do que boa vontade e alta produtividade, é essencial buscar a opinião dos chefes para que eles possam apontar qualidades e defeitos que possam ser desenvolvidos e, dessa forma, criar ainda mais oportunidades de subir de cargo ou até mesmo ganhar um aumento”.

 

​​

 

Alexandre Slivnik, especialista em recursos humanos, diretor da Associação Brasileira de Treinamento e Desenvolvimento (ABTD) / Foto: Divulgação

 

Ele explica que é preciso trabalhar dois princípios básicos: escutar e a verdade. “Pratique a escuta ativa, ou seja, ouça genuinamente o que os seus clientes internos e externos e o que o seu líder tem a dizer para você, não para julgar, mas com o propósito de aprender e crescer. Coloque o que você sente, fale o que pensa e no que pode contribuir para a empresa. Quem trabalha na linha de frente é quem está em contato com o cliente e pode criar soluções para resolver problemas da empresa”.

 

Colaborativo

 

Lembre-se que você faz parte de uma equipe e como tal não há como vencer sem que o time todo vença. “As pessoas necessitam canalizar suas energias e esforços para o sucesso coletivo. Para isso, é necessário solicitar o feedback dos líderes e até para outros colegas, que podem dizer como o trabalho desempenhado vem contribuindo para o dia a dia do cumprimento das tarefas e metas. Nós evoluímos quando ouvimos as pessoas que estão ao nosso redor, por essa razão é importantíssimo solicitar opiniões e buscar conversar com as pessoas e não apenas esperar que elas cheguem até você”.

 

É preciso ajudar as pessoas que estão ao seu redor para que elas também alcancem as metas. “Não tenha medo, participe dando ideias. Todos os colaboradores que querem crescer dentro de uma organização precisam dar ideias, pois você somente será promovido no momento que ajudar a empresa a resolver os problemas do cliente. Esteja atento para encontrar novas soluções, a maioria das soluções vem da equipe de frente. Se você quer ajudar a empresa a prosperar, além de ser proativo tem que estar atento às oportunidades de melhorias e sugeri-las à sua liderança”.

 

E não existe o momento certo para fazer isso, na opinião de Slivnik. “Eu não acredito que precisa ter o momento certo, principalmente quando o assunto está quente, transmita a informação para o seu líder. Como, por exemplo, se alguém no balcão pegou um problema de um cliente e você teve uma ideia para solucioná-lo, na mesma hora, fale como o seu líder. Quanto mais você transmitir a informação no momento que ela acontece, mais chance de ser resolvido o mais rápido possível. Quanto mais postergar, menor a chance de dar certo”.

 

​​

Rachel Rosário Guiari, da MercadoCar / Foto: Divulgação

 

O ideal, sugere ele, é ter uma conversa esclarecedora sobre os pontos que podem ser melhorados. “Isso pode ser feito de maneira informal, durante um café ou após uma reunião”. Até porque uma das principais funções do líder é identificar as forças dos funcionários para que eles possam desenvolvê-las ainda mais para realizar trabalhos excepcionais. “Saiba ouvir e aplicar as dicas para conseguir boas chances de crescimento dentro em um ambiente corporativo. Ter autonomia é um grande diferencial: executar as tarefas de antemão, sem que seja solicitado, é algo notável”.

 

Ele reforça a importância da escuta ativa. “Ela funciona quando você escuta um propósito, com a intenção de ouvir genuinamente o que a pessoa tem a dizer. Ainda mais nos dias de hoje que é muito fácil nos distrairmos com o que está ao nosso redor, com coisas que tiram a atenção, como o celular. Quanto mais focar a sua atenção e praticar a sua escuta ativa, maior a chance de ouvir e absorver o que está sendo dito. Dessa forma, maior a chance de seu líder continuar falando, pois se ele fala mais de uma vez e você não escuta genuinamente, vai parar de falar, de dar feedback e você não vai mais crescer na empresa”.

 

Reconhecimento

 

Muitos profissionais, mesmo que sejam excelentes e tenham atitudes certas, se queixam de não ser reconhecidos. Para Slivnik, isso é uma questão de alinhamento. “É preciso alinhar as expectativas. Às vezes, as pessoas acham que estão sendo muito reconhecidas e, às vezes, sentem que não são. O primeiro ponto é se a empresa tem política de reconhecimento e se ela está sendo usada e passada para os seus colaboradores. Se ela não tiver, é preciso criá-la e isso é diferente de recompensa”.

 

Inclusive, ele não recomenda a recompensa. “Porque ela é finita e o reconhecimento é eterno. Tenha uma política de reconhecimento que esteja alinhada com o seu colaborador para que ele saiba como é reconhecido. Essa política tem que estar alinhada com o líder e o liderado. Quanto mais você tiver um canal aberto com o seu líder, maior a chance de dar valor aos feedbacks e aos elogios positivos que você recebe”, conclui.

 

Empatia

 

Há oito anos e meio no balcão de autopeças, Rachel Rosário Guiari, da MercadoCar, conta que o principal é gostar do que faz. “Em primeiro lugar, eu faço o que eu gosto e procuro sempre estar atualizada com os produtos, sempre que carros novos são lançados eu busco acompanhar todos os avanços, participando de cursos e treinamentos, pois a empresa procura sempre nos manter preparados e atualizados”.

 

​​

Everton Peralta, da Jocar / Foto: Divulgação

 

Junto aos seu pares, ela diz que o importante é ter empatia e ser sempre cortês. “Eu passo o meu conhecimento para eles e também aprendo muito com eles. Como estou há mais tempo na empresa, eu procuro passar a minha experiência e a gente aprende muito com os mais novos, eles têm sempre algo a nos ensinar”.

 

Fundamental também é ter uma relação saudável na empresa. “Isso se consegue tratando todos com respeito e educação. Eu busco levar as coisas de maneira leve, com responsabilidade e de forma participativa. Aqui, todos participam de campanhas, de ações para atingir os resultados, e isso se consegue com um bom atendimento ao cliente, porque este é o objetivo. É preciso encantar o cliente, desta forma você é valorizado, pois no final, a loja existe por causa dele”.

 

Harmonia

 

Na Jocar, Everton Peralta não dispensa estudar cada vez mais. “No momento, eu estou procurando cursos técnicos de mecânica para abranger o conhecimento, isso será o começo, pois futuramente quero fazer um ensino superior de contabilidade e administração e alavancar a minha carreira”. Na loja, ele diz que o primeiro passo para ter uma boa convivência é o respeito.

 

​​

Walter Antonio Picerni, da Gian Auto Peças / Foto: Divulgação

 

“Eu passo para eles o meu conhecimento e vice-versa. Nós temos atividades após o expediente, um futebol, um happy hour, tendo isso, a harmonia no ambiente de trabalho fica melhor. Eu ajudo todos brincando um pouco, para dar risada na hora certa também. No que for possível eu os ajudo e eles me ajudam, como para bater as metas ou cobrir alguém que precisa entrar mais tarde ou sair mais cedo. Ter harmonia no trabalho é fundamental, pois passamos mais tempo com eles do que com nossas mulheres”.

 

Atualização faz parte da rotina de Everton. “Nesse segmento é preciso estar sempre atualizado em relação às peças, isso se dá muito pelos catálogos que são disponibilizados para a gente, por e-mail e pelos fornecedores. Esse é o caminho e com a internet tudo ficou mais fácil”. No quesito valorização, ele diz que com o tempo se tem o reconhecimento e o amadurecimento. “Todo mundo quer um cargo a mais. Mostrando incentivo e um pouco mais de força de vontade, isso já faz diferença no salário e a gente trabalha com outro ânimo”.

 

Dedicação

 

Há 26 anos no balcão, Walter Antonio Picerni, da Gian Auto Peças, comenta o quanto é importante se dedicar. “Eu me dedico 100% para o meu trabalho, estou sempre me corrigindo para melhorar”. Com os seus colegas, ele diz que a amizade é fundamental. “Estou sempre ajudando. Mas, às vezes, eu preciso de ajuda também em relação às peças. Amizade no ambiente de trabalho é fundamental”.

 

Também na linha de frente, a palavra de ordem é atualização. Para isso, além dos mecanismos tradicionais, como catálogos e treinamentos, Picerni está sempre atento às redes sociais e aos programas de televisão. Para ser reconhecido, diz ele: “é preciso ser sempre prestativo, não faltar no trabalho e não pisar na bola”.

 

Reciclar

 

​​

Luiz Ratto, da Braskape / Foto: Divulgação

 

Por se tratar de uma área que está em constante evolução, Luiz Ratto, da Braskape, afirma que para alavancar a carreira é preciso se reciclar e estar disposto a melhorar sempre. “Participando de palestras, cursos e estar antenado ao mercado e à sua evolução. Assim que um novo modelo de veículo é lançado, eu logo vou em busca de informações. Dessa forma, eu fico atento à demanda e do que podemos ter na loja para ajudar sempre a área de compras sobre o que realmente precisamos para atender a clientela”.

 

No dia a dia, ele comenta que sempre quando pode compartilha informações e experiências com todos. “Pois somos uma equipe com um único objetivo, o de crescer”. E para ter uma relação saudável no ambiente de trabalho, Ratto enfatiza que todos gostam de ser tratados respeitosamente. “Nesta hora é importante esquecer que há uma hierarquia, independentemente da profissão da pessoa, tratar de forma respeitosa. Isso faz com que sejamos bem vistos por todos. Além disso, é importante respeitar as opiniões dos outros, por mais diferentes que sejam da sua, elas também devem ser escutadas e consideradas”, finaliza.

Comentários

Seja o primeiro a comentar


Canal Balconista Automotivo

Inscreva-se em nosso canal no YouTube e assista aos nossos vídeos

NOTÍCIAS MAIS LIDAS